Pela minha janela

Eu sempre fiquei horas observando as janelas das casas onde vivi, imaginando o que as outras pessoas estavam fazendo do lado de lá. É engraçado parar e analisar o como estamos cada dia mais sem tempo de observar uma janela, por exemplo, ou escutar os outros, ou várias outras coisas.

Perdemos tanto tempo escutando e lendo coisas que não nos agregam nada que chega a ser alarmante este fato. Como podemos não perceber o tempo perdido? O tempo que perdemos no celular, nas redes sociais e etc. Não podemos negar que a vida se tornou um pensamento único: o que estou fazendo agora. Ao invés de ser: o que estou pensando agora.

Não é atoa que ao olhar uma janela, observamos a vida dos outros, o espaço e o tempo, as coisas que acontecem longe dali - mas ao mesmo tempo tão perto. É incrível pensar nessas coisas, deixar a mente vazia e deixar fluir pensamentos sobre coisas fora do seu cotidiano. A sociedade tende a ser cada vez mais ocupada e cheia de pensamentos sobre essas ocupações, é muito importante termos um tempo para olhar ao redor. Olhar as cores, sentir o tempo, ver quantas janelas temos perto de nós, imaginar o que cada um está fazendo dentro de cada janela - cada história presente lá. 

Essa foto representa esse tempo que eu tiro para pensar - ou não pensar - em como a vida passa e o como precisamos relaxar um pouco mais ao invés de vivermos desesperados ou dependentes de coisas. As coisas são consequências de atos, e os atos são consequências de pensamentos. Então pense mais. Faça isso também, descanse sua mente e veja que pela sua janela, também existem histórias. 
Share:

Nenhum comentário

Postar um comentário

© Depois que crescemos | All rights reserved.
by pipdig