Resenha: The Last Ship‏

The Last Ship é uma série que foi lançada em agosto de 2014 nos Estados Unidos, e passou a ser transmitida pela TNT aqui no Brasil há pouco tempo. Ela tem 10 episódios e já foi confirmada uma segunda temporada para 2015. Vamos conferir?
Tempo é algo que não temos... 

A Dra. Scott está a bordo do último navio da Marinha dos EUA que não foi contaminado por um vírus que se espalhou por todos os continentes e matou milhões de pessoas. Ela é uma cientista atrás da cura, e não parará até encontrá-la e salvar a humanidade. O vírus atacou primeiro a África e Ásia, e em pouco tempo, atingiu todos os outros países, tornando-se pandêmica. Governos caíram, a comida e energia sumiram em muitos lugares, a China explodia sua população para impedir que a doença se espalhasse ainda mais, e a Rússia atacava. Este era o fim do mundo tão temido por todos.
Liderados pelo capitão Chanceler, a tripulação do USS Nathan James estava numa missão no Ártico, onde ficaram por meses até a completarem; eles não tinham contato com seus familiares nem com ninguém, portanto não sabiam do vírus e das mortes. A Dra.Scott era a única que sabia dos acontecimentos, mas manteve sigilo por muito tempo, causando revolta em todos os marujos quando estes descobriram a mentira.
Quando a verdadeira missão enfim foi desmascarada, os tripulantes passam a proteger a doutora e ajudá-la a encontrar a cura enquanto ficam em alto mar, o único lugar que não fora atingido pelo vírus que vez ou outra, passa por mutações, ficando mais forte e diminuindo as chances de viver. Uma das mutações foi, inclusive, adicionada a um gene humano, deixando o vírus ainda mais forte e mortal.

Quando comecei a acompanhar essa série, fiquei imaginando se as pessoas que contraiam o vírus se tornariam zumbis ou coisas do tipo. A série é sim apocalíptica, mas podem ficar sossegados, pois não há zumbis. O vírus ata os contaminados em dias, causando hemorragias, dores e tosses.
Essa é uma daquelas séries que conseguem deixar o telespectador tenso e ansioso em todos os episódios; já no primeiro episódio, já senti que estava viciada na história e que já tinha criado afeição por muitos personagens, mesmo dizendo a mim mesma que não deveria fazer isso, pois querendo ou não, os meus personagens favoritos sempre acabam morrendo, seja em filmes, séries ou livros.

Os personagens são muito inteligentes e corajosos; todos eles deixaram família e amigos para trás, em algum lugar do mundo, para tentar encontrar uma cura que pode ou não existir. Eles sabiam dos riscos, mas ainda assim decidiram ajudar e lutar para salvar o mundo. Dizer que são heróis seria pouco, bem pouco.

A única coisa em que pude pensar quando o décimo e último episódio acabou foi: “Preciso de mais!”. Fico com uma raiva danada quando a série finaliza alguma temporada de forma emocionante que nos deixa tremendo e querendo mais, incrível como sempre conseguem deixar o melhor para o final! Last Ship foi emocionante do inicio ao fim, mas os últimos dez minutos do episódio 10 são aqueles que te deixam roendo as unhas e temendo o que acontecerá a seguir.

Pelo o que fiquei sabendo, a segunda temporada foi confirmada (yees!), mas só volta no ano que vem, sem previsão do mês e dia. Agora só nos resta esperar...
Share:

Nenhum comentário

Postar um comentário

© Depois que crescemos | All rights reserved.
by pipdig