Resenha: Baby Daddy‏

A série da qual eu vou falar hoje se chama Baby Daddy. É uma série de comédia transmitida no Brasil pela ABC Family.
Baby Daddy é uma série que mostra o momento em que a vida de três amigos vira de cabeça para baixo quando um bebê é deixado na porta do apartamento deles. O bebê, Emma, é filha de Ben, um rapaz irresponsável e mulherengo que nem mesmo sabia que tinha uma filha, mas que tomado pelo carinho e amor que sente pela garotinha, decide tomar conta dela com a ajuda de seu irmão, Danny, seus melhores amigos, Tucker, e Riley, e sua mãe, Bonnie.

Ben, Riley e Danny eram grandes amigos na infância, moravam na mesma rua e faziam várias coisas juntos, porém Ben era do tipo bagunceiro e bad boy, e vivia correndo atrás de outras garotas, para infelicidade de Riley, que naquela época era gordinha e apaixonada por ele. Agora ele é barman e divide um apartamento com seu melhor amigo e seu irmão mais velho, que é jogador de hóquei. Riley se tornou uma advogada e emagreceu, porém ainda tem sentimentos pelo cara que consegue perder a filha dentro da própria casa, enquanto Danny desde pequeno é apaixonado por ela, coisa que fica bem clara durante os episódios, mas que ninguém parece perceber.
Baby Daddy é um clichê, a tão conhecida história do triângulo amoroso que conta com um cara bonzinho e o irresponsável, mas as características e humor dos personagens fazem com que ela seja única, e uma das melhores que eu já vi. É impossível não rir com as trapalhadas e idiotices que os amigos fazem, e o mais legal é que Emma também ri conosco nas cenas mais engraçadas. 
Todos os personagens são incríveis, sem exceção, mas os meus favoritos são Tucker e Bonnie, que acabam se tornando amigos algum tempo depois da chegada de Emma. Os dois já participaram de uma competição de mascotes juntos, e já tentaram conhecer o Bon Jovi. Eles são os personagens mais engraçados da série toda. 

Baby Daddy já tem três temporadas, e a quarta chega agora em Outubro, com um episódio de Halloween. Os episódios são bem pequenos, com vinte e poucos minutos cada, e alguns menores, e é impossível não rir junto com os personagens. 
Share:

Nenhum comentário

Postar um comentário

© Depois que crescemos | All rights reserved.
by pipdig