Resenha: Arrow

Trago hoje a resenha da série Arrow, que está fazendo muito sucesso ultimamente. Confiram: 
Starling City é uma fábrica de ricos corruptos e planos malignos, e é contra isso que Oliver Queen, nosso protagonista, irá lutar. Ele ficou preso numa ilha chinesa por cinco anos depois que o navio de sua família naufragou, e foi o único sobrevivente. Mas agora está de volta, e ninguém imagina o quanto ele mudou durante todo aquele tempo.

Prestes a morrer, seu pai entregou-lhe um caderno onde continham vários nomes numa lista, e implorou para que o filho consertasse seus erros e salvasse a cidade, que ficava cada vez mais envenenada com todos aqueles crimes que assustavam e ameaçavam as pessoas. Oliver então assume uma nova identidade, onde usa um capuz e calças verdes, e um arco e flecha. Ele passa a ser conhecido como Capuz, Arqueiro e Vigilante, o anjo da guarda da cidade. Seguindo a lista aleatoriamente, Oliver persegue os criminosos que, com todo o dinheiro que possuem, conseguiram fugir da prisão e de um julgamento; ele dá mais uma chance para que todos possam se redimir com a cidade, mas alguns acabam não aceitando numa boa.
O antigo Oliver era irresponsável e cometia vários erros, saia com dezenas de garotas e traia sua namorada com a própria irmã, mas o novo Oliver está determinado a cumprir a promessa que fez á seu pai e salvar a cidade do mal da corrupção, que parece crescer como um câncer.

No meio do caminho, o Vigilante faz alguns amigos e inimigos, dentre eles, a policia, mais especificamente, o detetive Lance, pai de Laurel, sua ex, que parece odiar as duas partes de Oliver, mesmo não sabendo que eles são a mesma pessoa. O Vigilante pode agir como um assassino de vez em quando, mas ele faz o possível para que não seja necessário matar ninguém. Ele só quer ser um herói, e é o que muita gente pensa dele.
Junto com a tripulação do navio de sua família estava Sarah, irmã de Laurel e amante de Oliver, que infelizmente e assim como todos os outros a bordo, não sobreviveu. Agora todos os Lance culpam Oliver pela morte da moça, principalmente o detetive.

O único que sabe sua verdadeira identidade é Dig, seu ex guarda costas que aceitou trabalhar com ele depois de muita insistência do rapaz, que
após muito tempo, decidiu confiar em alguém pela primeira vez. Mas ao longo dos episódios, mais pessoas entram para o grupo, ajudando Oliver a riscar a lista deixada por seu pai.
A história também é contada no passado, enquanto Oliver estava na ilha, ficamos então á par de tudo o que aconteceu com ele durante aquele tempo. São poucos flash-backs por episódio, mas conseguem deixá-los ainda mais emocionantes. Acredito que até a ultima temporada da série, quando esta foi finalizada, saberemos todos os detalhes de como Oliver Queen se tornou o Vigilante.

O final da primeira temporada foi arrebatador. Acho que nunca fiquei tão tensa vendo uma série quanto fiquei ao ver os 40 e poucos minutos que decidiram o futuro de Starling City e seus moradores. Não consegui conter as lágrimas quando este acabou, e não sabia o que esperar da segunda temporada, que eu comecei a ver alguns minutos depois.

Se há um personagem que eu adoraria conhecer, este personagem é Oliver Queen, mesmo que ás vezes ele faça escolhas ruins e deixe os outros na mão. Ele é corajoso e está sempre á procura de mais motivos pelos quais lutar, o que eu admirei do inicio ao fim. Outros personagens dos quais eu gostei bastante, são Diggle e Felicity, dois “sócios”, por assim dizer, do “clube do Vigilante”, ambos ajudam Oliver a colocar os bandidos atrás das grades. Roy também é espetacular, namorado de Thea (irmã de Oliver) que aparece pouco antes do final da primeira temporada e fica cada vez mais importante.
Como não poderia faltar um (ou mais) romances, temos Laurel, antiga paixão de Oliver que trará á tona novos sentimentos dos quais ele não pode fugir; assim como o pai, ela o culpa pela morte da irmã e pela traição que sofreu, mas se esquece que Sarah é tanto culpada quanto ele. Laurel não é uma personagem pela qual eu senti afeição; houveram alguns momentos em que eu fiquei triste e feliz por ela, mas na maior parte do tempo, não podia parar de pensar que ela era uma songa. Mas ela não é a personagem mais odiável da série, outras namoradas de Oliver (Helena e Sarah) também me deixaram nos nervos!

Se a primeira temporada já foi emocionante e cheia de acontecimentos marcantes, imaginem só o que não virá com a segunda e terceira. Arrow é uma daquelas séries que você vê sem parar, episódio após episódio, um atrás do outro e sem pausas. No inicio eu achei um pouco parecido com V de vingança, pelo fato de o personagem fazer justiça com as próprias mãos, mas Arrow é muito melhor. É a minha mais nova série favorita.
Share:

Nenhum comentário

Postar um comentário

© Depois que crescemos | All rights reserved.
by pipdig