Resenha: About a Boy‏

Hoje trago a resenha da série About a Boy, uma série muito boa! Acompanhe:
Will é um solteirão que faz de tudo para levar mulheres para sua casa, mas quando Fiona e seu filho Marcus se mudam para a casa ao lado, ele vê sua vida mudar completamente. Os novos vizinhos são vegetarianos e estranhos, (daquelas pessoas que visitam tribos indígenas e acendem incensos pela casa), e ele não sabe como dirá ao menino de onze anos que eles não podem ser amigos, pois ele tem outras coisas para fazer.

Quando ele conhece Dakota, já no primeiro episódio, e inventa ter um filho com leucemia recém curado, acaba se tornando mais próximo de Marcos, que em troca de alguns refrigerantes e costelas, (contra a vontade de sua mãe, que não o permite se alimentar de porcarias) aceita fingir ser seu filho, para que ele possa conquistar a moça. As coisas acabam não saindo como planejado, mas a mentira mal sucedida serviu para que Will percebesse que se importa com o garoto.
Todos os amigos de Will já se casaram e estão com uma penca de filhos, então ele não acha muita companhia para festas e eventos, de modo que acaba optando por levar Marcos, o garotinho que treina valsa e canto com a mãe. Ele é o único de seu grupo social que não está trocando fraldas, e se mantém com o cachê de uma musica de natal que escreveu há oito anos, e que fez o maior sucesso.

Marcus acredita e sonha que um dia Will se casará com sua mãe, e eles se tornarão uma família, e está começando a achar que Will será seu pai, pois eles fazem diversas coisas juntos, coisas que pais e filhos fazem. O pai biológico do menino vive na Antártica, onde estuda pinguins, e Marcus o vê uma ou duas vezes por ano, se tiver sorte.
Marcus é um personagem maravilhoso. Foi criado por uma mãe solteira super protetora, então vive em sua zona de conforto e com medo do que poderá encontrar lá fora, entre filmes de terror e doces açucarados. Sua mãe o ensinou a não mentir, então ele não consegue fazê-lo de jeito nenhum; Marcus é o típico garoto certinho que sempre acaba sendo ridicularizado na escola, e como já passou por várias escolas diferentes, sabe como é essa sensação. Mas agora ele tem Will, que o ajudará a passar por cima das crianças mimadas e ver que ele é um ótimo garoto.

Fiona é tão protetora que chega a ser irritante. Trata o filho como se ele ainda fosse um bebê, e como estava depressiva nos primeiros episódios, chorando o tempo todo e irritada, odiou Will já no primeiro instante que o viu, e não gostava nem um pouco de ver seu filho enfurnado na casa do vizinho mulherengo. Ela é uma mulher sem amigos que vive para o filho, mas isso mudará um pouco quando ela perceber que precisa viver por si e tentar ser feliz.
A série foi inaugurada ainda em 2014, e por sorte, foi renovada. A segunda temporada pintará por aí em 2015. Ouvi dizer que a história já foi tanto livro quanto filme, mas não cheguei a conhecer nenhum dos dois. About a boy pode ser classificado como comédia romântica, pois Will e Fiona parecem ter certa conexão que, hora ou outra, vai fazer com que os dois se apaixonem. Não digo que isso irá acontecer com certeza, mas eu espero que aconteça; eles seriam uma bela família.
Mal vejo a hora de ver a segunda temporada, e espero que não demore muito para começar. About a boy é divertido do jeito que todo mundo gosta, e teve um desfecho inicial maravilhoso.
Share:

Nenhum comentário

Postar um comentário

© Depois que crescemos | All rights reserved.
by pipdig