Jogos Vorazes VS Battle Royale

Surgiu muitos boatos sobre a semelhança entre os dois sucessos. As comparações são inevitáveis, Jogos Vorazes consegue passar a mesma essência do filme japonês Battle Royale. Fiquei curiosa sobre esse fato e resolvi assistir Battle Royale e trago à vocês hoje uma comparação entre os dois.

Jogos Vorazes
A nova modinha dos jovens é baseada em um livro americano, que leva o mesmo nome, escrito por Suzanne Collins. O primeiro de uma trilogia, faz a introdução da personagem principal, Katniss Everdeen (Jennifer Lawrence), se voluntariando para ir no local da irmã, a jovem Prim, para os mortais Jogos Vorazes (VEJA AQUI MAIS DETALHES). Passado em um futuro próximo, treze distritos entraram em colapso e se romperam em uma guerra que acabou com a vitória da Capital. Por isso mesmo, todo ano, cada um desses doze distritos (o 13º está supostamente destruído) tem que colocar dois jovens, entre 12 e 18 anos, um menino e uma menina, como tributos para a Capital fazer seus jogos sádicos, como lembrança de submissão e obediência, onde apenas um pode sair vivo e vencedor. E é na 74º edição dos Jogos Vorazes que Prim sorteada, mas sua irmã se prontifica para ir no seu lugar. Junto com ela, representando o distrito 12, vai também o doce Peeta (Josh Hutcherson). Parte do filme é passado na preparação dos tributos para os jogos, que são levados para a Capital e de lá transformados em celebridades. 
Katniss e Peeta vivem um romance meio forçado pela mídia voraz da Capital, mas percebem que se esse é o único jeito de sobreviverem, então começam a viver juntos na arena. A arena é o local onde ocorre os jogos, muito sangue e pessoas cruéis estão presentes o tempo todo. 

Battle Royale
Estreado em 2000, Battle também é baseado em um livro japonês, chamado "Batoru Rowaiaru". É também passado em um futuro apocalíptico, onde o Japão está em decadência e seus jovens são cada vez mais violentos e rebeldes. Por esse motivo o governo aprova a lei ATO BR, que ordena que sorteiem uma classe de estudantes (entre 15 e 18 anos) para que eles se matem entre si até restar apenas um vencedor. A sala do 3° ano B foi escolhida para "O Programa". Assim, 42 estudantes lutarão por suas vidas de forma impiedosa. O filme ainda conta com o romance entre Shuya e Noriko, os dois últimos sobreviventes. A continuação de "Battle Royale I: Survival Program" também foi lançada e se chama "Battle Royale II: Requiem" (que já são os jovens sobreviventes em revolução para derrubar o Battle Royale). O livro/filmes também viraram mangá e são super populares no Japão. Com muito sangue e realismo, Battle Royale é chocante e direto. 

Minha opinião
Jogos Vorazes tem basicamente a mesma história de Battle Royale só que em países diferentes. O filme em si, no Battle Royale é muito mais violento e devido ao ano em que foi feito, os efeitos não são tão bons como os do Jogos Vorazes. Na minha opinião, Battle Royale é melhor por ser mais difícil os jogos devido ser uma sala de aula, onde todos se conhecem e são amigos, já nos Jogos Vorazes eles não se conhecem e torna os jogos mais fáceis. Também tem o aspecto das armas e tudo mais, que na minha opinião, é bem mais justo no Battle Royale onde todos ganham uma mala com suprimentos. Tirando todos esses fatos, os dois são violentos e impróprios para crianças e moralistas. 

O que você achou sobre os dois? Acha que a autora de Jogos Vorazes plagiou Battle Royale? Deixe seu comentário! 
Share:

18 comentários

  1. AH sei lá, não achei tão parecido...

    Zombie World ~> Perfil

    ResponderExcluir
  2. Achei que a inspiração da criadora de Jogos Vorazes com toda a certeza foi este filme, mas como sempre o original é sempre melhor! (no caso o Battle Royale):i

    ResponderExcluir
  3. Sei que THG segue uma linha diferente de BR nos outros livros da série, mas não consigo respeitar a autora em si por ter dito que jamais tinha ouvido falar de BR.
    O número de "semelhanças" é alto demais, colega, PARA. A história é boa, mas sempre vou vê-la como algo que está tirando dinheiro e crédito do original.

    ResponderExcluir
  4. Respostas
    1. Acho que a maioria que fala que não tem semelhança nenhuma (minha amiga, defensora voraz de jogos vorazes e da inocência da autora com relação a existência de história parecida, por exemplo) fala isso baseado no filme ou em uma inocência cega. Li THG e amei a história e etc, e aí ouvi falar dos boatos de plágio. Li BR e vi os filmes e as semelhanças estão ali, batendo na cara de quem quer ver. É óbvio que são ambientadas em países, culturas diferentes, mas se você pegar o 'esqueleto' das histórias, é o mesmo!
      -história onde há um governo totalitário que institui jogos onde jovens em que matar uns aos outros;
      -o personagem principal faz aliança com alguém e juntos eles tentam sobreviver aos jogos;
      -uma revolução;
      -história de amor entre os jovens.
      detalhes foram tirados, outros acrescentados, mas é basicamente a mesma história.

      Excluir
  5. Primeiro - Histórias de governos totalitários com luta por sobrevivência ou revolução já existiam muuuuito antes tanto de Jogos Vorazes quanto de Battle Royale. Há uma gama de clássicos distópicos anteriores aos dois: 1984, Admirável Mundo Novo e etc.

    Segundo - nenhum dos dois tão menos são percursores do tema de survival game, ou mesmo de crianças se matando (alô, Senhor das Moscas?)

    Terceiro - Alianças (personagens secundários que ajudam o principal) e romances são típico de quase todas as histórias. No próprio 1984 existe um romance entre a dupla principal e no Senhor das Moscas existem alianças.

    Quarto - O fato é que nada é 100% original. Exatamente tudo que se cria sofre influência do conhecimento anterior do criador dessa coisa. Assim, partilhando do mesmo gênero (distopia), não é difícil que as duas obras tenham bebido das mesmas fontes. Isso não quer dizer,no entanto, necessariamente que uam venha da outra.

    Chamar Jogos Vorazes de plágio de Battle Royale é sacanagem! É ignorar todo o universo que a Suzanne Collins criou, que tem críticas que Battle Royale não tem. Como a espetacularização da mídia, a alienação, superioridade das classes, o discurso da pobreza e etc. Não acho totalmente impossível que a Suzanne Collins realmente nunca tenha entrado em contato com Battle Royale. É possível, assim como não acho impossível que J.K. Rowling nunca tenha entrado em contato com Tim Hunter.

    Para mim, é só um falso discurso de originalidade que acaba não permitindo que pessoas apreciam obras que falam do mesmo tema sem faze comparações e eleger uma melhor que a outa, sem se preocupar com o que cada uma tem a oferecer.

    Se for por isso, toda e qualquer história de alta-fantasia que existir é plágio de Senhor do Anéis. Pera lá, nê?

    ResponderExcluir
  6. Bom comentário, mas as opiniões sempre serão diferentes uma das outras, concordo em partes com você.
    @Arthur Medeiros

    ResponderExcluir
  7. Não tem como negar que é um plagio, ou um plagio do plagio.

    ResponderExcluir
  8. @Arthur Medeiros Concordo plenamente com tudo que você disse !!! É impossível ter uma história 100% original quando se tem tantos títulos já publicados. BR e THG só são do mesmo gênero. E também não acho impossível a Suzanne Colins nunca ter ouvido falar de BR. BR não é nenhuma leitura obrigatória nas escolas para ser impossível de ser conhecida. Cada história é diferente mesmo com as semelhanças, e gostar mais uma do que da outra não significa que uma é melhor do que a outra só que é melhor para você.

    ResponderExcluir
  9. @Arthur Medeiros Concordo plenamente com tudo que você disse !!! É impossível ter uma história 100% original quando se tem tantos títulos já publicados. BR e THG só são do mesmo gênero. E também não acho impossível a Suzanne Colins nunca ter ouvido falar de BR. BR não é nenhuma leitura obrigatória nas escolas para ser impossível de ser conhecida. Cada história é diferente mesmo com as semelhanças, e gostar mais uma do que da outra não significa que uma é melhor do que a outra só que é melhor para você.

    ResponderExcluir
  10. Eu tbm acredito na inocência de Suzanne de nunca ter ouvido falar de BR. Dá para se contar nos dedos quantos brasileiros e/ou norte americanos conheciam/conhecem BR antes de THG. Por ser um filme japonês a maioria ou quase todos não são conhecidos em outros países. Eu mesmo so fui saber desse BR no início desse ano.=/ E não duvido que Suzanne não conhecesse ele tbm. Só que ao lançar seus livros e filmes aparecem pessoa que já conheciam BR e fazem comparações e logo se torna "Plágio". Bullsh*t para mim, pois acho que é praticamente impossível fazer algo que não lembre outra obra. u.u' Inclusive vou ate assistir BR pq ainda não consegui lugar para assisti-lo. xD

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Até parece que uma escritora não faz pesquisas, né? E Batte Royale foi um estrondo. O Brasileiro é que não lê, não se informa e apenas vive a idolatrar o que EUA produz. Tem que ser muito cego, inocente ou idiota pra acreditar que a Suzzane não sabia de nada.

      Excluir
  11. Bom acabei de ver BR e na minha opinião, ainda prefiro THG .Sim, tem muitas comparações a serem feitas, como: O casal ( Noriko e nanahara), o Kawada que poderia ser o Haymitch experiente e q ajuda os dois(até mesmo a história do Haymitch que foi pro Quarter Quell com a colega de infância da mãe da Katniss e que tentou defende-la ate o ultimo momento e que a amava. Como o kawada e a Keiko), Kiwuda( não me lembro do nome dele ) inteligente como o Beetee, Kitano que cometeu o erro igual o do Seneca Crane de não matar a Katniss ou no caso a noriko. Enfim, ainda acredito na inocência de Suzanne, mas que existe uma coincidência muito grande nas histórias por trás dos personagens e das características deles, isso é inegável.

    ResponderExcluir
  12. na moral da pra ver , ta na cara q foi plageado e ela num tem nem vergonha na cara de dizer isso nos livros dela, em inventar historias ficticias os japoneses são mt superiores

    ResponderExcluir
  13. Eu nao acho ki seja plagio, por que a historia de matar um ao outro é muito comum. Suzanne se mostrou uma mulher inteligente com o livro dos THG entao eu nao acho ki ela teria a mancada de plagiar uma historia tao popular quanto a de BR

    ResponderExcluir
  14. Eu nao acho ki seja plagio, por que a historia de matar um ao outro é muito comum. Suzanne se mostrou uma mulher inteligente com o livro dos THG entao eu nao acho ki ela teria a mancada de plagiar uma historia tao popular quanto a de BR

    ResponderExcluir
  15. @@LeoBrenner

    Pera lá, né amigo? Contar nos dedos?! Tá de brincadeira! Todo mundo que conhece o mundo de mangás e animes, e o universo japonês CONHECE SIM Battle Royale e que pra sua informação saiu em 2008, se não me engano, o mangá no Brasil pela editora JBC. Se você NUNCA ouviu falar, foi coisa SUA e não da MAIORIA, porque vou te falar, a febre de mangás e animes é MUITO MAIS FORTE NOS EUA QUE NO BRASIL, pode ter certeza, amigo! E ela deve ter ouvido SIM, está na cara, tudo é muito parecido ou muita coincidência...!!

    ResponderExcluir
  16. Fico com JV, tanto o filme (cujo primeiro eu não gostei muito) como livro. BR não é nem de longe essa violência que tantos afirmam (a geração de O Albergue e Jogos Mortais vai dar risada desse filme, pelo menos eu dei) e o livro é muito enfadonho, cheio de situações surreais (os japas se preocupam tanto em fazer algo chocante que acaba perdendo o sentido) e só teve uma parte, que foi a morte da Takako que eu fiquei realmente espantado. Enfim, opinião é opinião, e o próprio autor de BR já se pronunciou sobre isso. Aliás de maneira mais madura e sábia que muitas pessoas.

    ResponderExcluir

© Depois que crescemos | All rights reserved.
by pipdig